Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 01/11/2019 11:58:42

Evento já ocorreu na UniCASA; iniciativa foi idealizada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

 

Com a exibição de quatro documentários e participação ativa dos servidores, a Sede da Fundação CASA, localizada no bairro da Luz, na capital, recebe nesta sexta-feira (01/11) a 12ª edição da Mostra de Cinema e Direitos Humanos.

A iniciativa é uma realização da UniCASA em conjunto com o Comitê Institucional Direitos Humanos e Enfrentamento a Violência e Programa de Desenvolvimento Técnico Científico (PDTC). A exibição dos filmes teve início na última quinta (31/10), na própria UniCASA.

A abertura do evento foi realizada pelo chefe de gabinete, Maurício da Silva Correia, que destacou a importância desse tipo de atividade. “Precisamos, de vez em quando, parar, refletir e discutir o que estamos fazendo. E nada melhor que o cinema para que possamos gerar esse debate”, comentou.

O primeiro filme exibido foi o documentário “Á Espera”, de 2016, que aborda a cultura dos casamentos prematuros em Moçambique, onde 39% das meninas se casam antes dos 15 anos com homens mais velhos.

Ao final da exibição, os servidores participaram de um debate sobre os direitos das crianças, dos adolescentes e das mulheres.

Na sequência, serão exibidos mais três documentários, sendo um ainda na parte da manhã e mais dois na parte da tarde. Confira abaixo.

2ª Sessão: 11h15 – Documentário “Era Um Garoto que Como Eu Amava os Beatles e os Rolling Stones” de 2018, conta a história de três jovens, dois autistas e um com paralisia cerebral, que decidem montar uma banda. O debate abordará direito das pessoas com deficiências. Mediação: Marcelo Hoddas Tadeo e Rosangela da Silva Domingos

3ª Sessão: 14h – Documentário “Heróis”, de 2016, aborda a vida de três judocas olímpicos. O debate abordará o tema direitos humanos. Mediação: Mario Luiz da Silva Pereira e Rosangela da Silva Domingos.

4ª Sessão: 16h – Documentário “A Rua é NOIZ” de 2018, fala sobre identidade, luta e vida nos bairros humildes e favelas. O debate abordará temas como direito à cultura, direito à educação e inclusão social. Mediação: Elizangela Vaz Macedo e Marcelo Hoddas Tadeo.

Encerramento às 16h45