Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 03/04/2019 18:32:56

Apoiadores da Além Brasil e presidente do Esporte Clube Santo André conheceram trabalho sobre futebol realizado pela organização

 

Uma comitiva de seis alemães que apoiam a organização social Além Brasil, que atua na inclusão de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade por meio do futebol, conheceram na última sexta-feira (29 de março) o trabalho de execução de medida socioeducativa realizado no CASA Santo André II, em Santo André.

Há cerca de dois anos, a organização atua no aprimoramento dos jovens do centro socioeducativo no futsal, inclusive com intermediação junto a clubes profissionais. O presidente do Esporte Clube Santo André, André Barros, também acompanhou a visita e todos assistiram a uma partida de futsal dos adolescentes.

Os alemães e o presidente do Esporte Clube Santo André visitaram todo o módulo de atendimento do CASA: salas multiuso, onde aconteciam atividades pedagógicas diversas, dormitórios dos adolescentes e a quadra poliesportiva.

Na quadra acompanharam uma partida de futsal dos adolescentes, organizada pelo professor Lucivan Silva, da Além Brasil. Toda sexta-feira, profissionais da organização realizam treinos complementares com os jovens. A Além Brasil também já doou material esportivo para o CASA.

A visita da comitiva alemã ao centro foi uma das etapas da viagem para avaliar as ações da Além Brasil com todos os públicos atendidos na organização.

“Um dos objetivos de trabalhar com o esporte é tanto proporcionar mais oportunidades para os adolescentes quanto faze-los levar uma vida mais leve”, explicou o presidente da organização Além Brasil, Markus Schneider, que atuou como intérprete na visita.

Alemão de origem, Schneider se mudou para o Brasil em 2004, já com a ideia de implementar um projeto que aliasse esporte ao resgate social de crianças em situação de risco.

“A organização complementa o nosso trabalho no aperfeiçoamento técnico dos adolescentes. Também são a ponte para quando eles forem desinternados e puderem tanto continuar treinando no projeto e até ser encaminhado para algum clube profissional”, afirmou o profissional de Educação Física do CASA Luiz César Madureira.